Existem diversas dúvidas quando o assunto é transportar animais nos compartimentos de carga da aeronave. Muitos viajantes consideram o pet que será transportado um membro da família e ficam preocupados se ele ficará seguro e confortável. Confira neste post algumas informações importantes para que seu pet faça uma boa viagem.

Primeiramente, é importante saber que o transporte de animais deve ser reservado com antecedência junto à companhia aérea, pois há um limite máximo de cargas vivas por voo. Cada companhia tem regras específicas, mas em todas existe custo adicional para o transporte do animal. Normalmente o valor é calculado com base no peso do animal, incluído a caixa de transporte, e o preço da passagem aérea.

Alguns pets podem viajar na cabine, quando permitido. O que determina se ele viajará na cabine ou no compartimento de carga são o peso total (caixa de transporte com o animal dentro – geralmente até 10kg), as dimensões da caixa e a raça do animal. Algumas empresas não transportam animais de focinho curto (braquicefálicos), como o pug e o Pitbull. Essas raças sofrem com variações grandes de temperatura e podem passar mal devido a eventuais demoras no embarque, especialmente se o dia estiver muito frio ou quente. Para evitar que seu animal seja impedido de viajar, é muito importante consultar as normas e restrições de segurança estipuladas pela companhia aérea.

O cliente deve fornecer uma caixa de transporte, também chamada de kennel, que cumpra alguns requisitos mínimos para garantir o conforto e a segurança do animal durante a viagem. Primeiramente, suas dimensões devem permitir que o animal fique de pé e dê um giro de 360° (volta completa) ao redor de si mesmo. A kennel deve ser de material rígido, capaz de proteger o animal de impactos e que impeça a fuga dele. É necessário ter atenção aos fechos, para evitar que a caixa abra por acidente. As aberturas de ventilação devem garantir a segurança do operador que carregará a caixa, impedindo que o animal o ataque. O piso deve estar forrado com material que absorva fezes e urina, de modo que não vazem. Não esqueça de identificar a caixa de transporte do seu pet com nome, endereço e telefone!

Em relação à segurança, não se preocupe: os compartimentos de carga são pressurizados, iluminados e têm temperatura controlada, proporcionando relativo conforto ao animal. Não se aflija pensando que o animal chacoalhará entre as malas, a kennel é presa por cordas e cintos. A necessidade de sedação deve ficar a critério do veterinário que cuida do animal. Normalmente não é necessária e nem obrigatória pela companhia aérea. Consulte um veterinário para saber como deverá ser alimentação do pet, pois ele só poderá ser alimentado antes da partida e na chegada.

Outras dicas importantes são:

  • Leve brinquedos, como bolinhas ou ossos de borracha para os pets se distraírem ao longo da viagem;
  • Ao chegar no destino procure pelo animal na área de retirada das bagagens, ele não será colocado na esteira;
  • Durante as conexões, caminhe um pouco com seu pet para que ele possa se movimentar depois de um longo período parado;
  • Evite viajar com fêmeas em fase de gestação, pois elas podem ficar assustadas.

Agora que você sabe mais sobre como é feito o transporte de animais nos compartimentos de carga, aproveite para programar uma viagem com seu pet. Clique aqui e curta nossa página no Facebook para saber mais informações sobre viagens.